02 setembro 2011

Medo da eternidade
Clarice Lispector

“Jamais esquecerei o meu aflitivo e dramático contato com a eternidade. Quando eu era muito pequena ainda não tinha provado chicles e mesmo em Recife falava-se pouco deles. Eu nem sabia bem de que espécie de bala ou bombom se tratava. Mesmo o dinheiro que eu tinha não dava para comprar: com o mesmo dinheiro eu lucraria não sei quantas balas. Afinal minha irmã juntou dinheiro, comprou e ao sairmos de casa para a escola me explicou: - Tome cuidado para não perder, porque esta bala nunca se acaba. Dura a vida inteira.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, seu LEEEMDO(A)!
Você me deixou FELIZOOOOOOOOOOONA! *-----*
Volte sempre, e sempre, e sempre, e sempre... e sempre³!
Cheirinhos da tia, Lola ;**

Tamanho original
Volte Sempre!