28 dezembro 2012

Permanecimento instável.


Imagem retirada de: "Le Petit Prince"

Quando alguém aparece em sua vida, essa pessoa pode ir embora rapidamente, ou permanecer, não é mesmo? Mas, o que faz com que ela permaneça? Será que depende só de você? As pessoas hoje em dia andam muito fechadas, introvertidas, desconfiadas, - o que é altamente normal e compreensível nos dias em que vivemos-, porém, será saudável isso? Esse individualismo exagerado, essa doença que torna cada dia a mais nosso interior gélido? Essa coisa que impede com que nos relacionemos, e que consequentemente vivamos em solidão.
Eu penso que a maior culpa dessa situação são os relacionamentos mal-sucedidos, que consequentemente são mal-sucedido porque as pessoas não se esforçam para mantê-los, para encontrar uma pessoa que seja boa para elas mesmas, envolvem-se com qualquer um, por algum tipo fútil de interesse: dinheiro, popularidade, beleza, status. O ponto e que chega um momento em que esse interesse fica imensamente menor que as diferenças e defeitos do ser idealizado. E no fim, acaba-se com um relacionamento frustrado. Sendo esse relacionamento um namoro, ou uma amizade.
O que se deve fazer quando você encontra alguém de que se "gosta" é preservá-lo, com tudo o que se estiver ao alcance. Talvez pareça infantil, tolo, ou inútil, mas com o tempo, essa pessoa perceberá o quanto você pode vir a fazê-la bem. Ou, fará você ver que ela não merece tanto esforço, com o tempo, as coisas ficam claras. Não há mentira que não venha à tona.

Lola D.

"Você é responsável pelo que cativa."

6 comentários:

  1. pq quando eu voltei tinha uns 10 blogs chamados cherry dream ¬¬ ve se pode, agora sou obrigada a ficar com esse nome tosco

    ResponderExcluir
  2. Lola adorei seu texto, acho que esse individualismo está acabando com o ser humano, está cada vez mais difícil preservar as pessoas e as amizades por perto, beijinhs amiga

    ResponderExcluir
  3. Da responsabilidade em cativar
    Cativar uma pessoa não significa dizer que o trabalho acabou depois das primeiras artes de apresentação e aceitação, mas consiste em conviver, trocar experiências, fazer parte de um caminho maior. Muitas vezes esquecemos disso, nos deixamos cegar.
    Há um erro comum nos relacionamentos modernos nos tempos velozes de hoje, em minha opinião: pensar que tudo é rápido, automático, prático, simples, com escopo bem definido. Não é assim. Achar que basta uma decisão e pronto, estamos no ar, sem contratempos ou atrasos só não pode ser chamado de inocência por se tratar de uma enorme irresponsabilidade.
    Nem sempre aprendemos da forma mais simples, às vezes pra aprender precisamos errar. E muito.
    Vale uma loooonga citação aqui:

    ---

    (...) Não é um mundo de relacionamentos entre egos sólidos e definidos, seguros de si mesmos e dotados de uma “identidade” clara. Cada um desses relacionamentos, por mais positivos que sejam, sempre tem seu momento de ansiedade genuína – como acontece em todos os relacionamentos. (...)
    O Jogo de Você, afinal de contas, não é o jogo do Eu. (Esse é o jogo do “eu-primeiro” - que todos nós conhecemos muito bem - , no qual aquilo que desejo está totalmente acima de qualquer outra coisa ou pessoa e deve ser obtido a qualquer custo.) Gaiman me parece estar dizendo (...) é impossível você ser o que – ou quem – deseja sem receber algum apoio dos outros. (...)
    Gaiman está afirmando que, graças à morte (...) ninguém pode vencer o Jogo do Eu. Wanda não consegue. Barbie não consegue. Eu não conseguirei. Nem você. Assim, para Gaiman, Um Jogo de Você é o único jogo que vale a pena ser jogado – porque é o único em cujo final há alguma chance de vitória. (...)

    ---

    Entender que não adianta jogar o “Jogo do Eu” foi um passo importante. Abrir mão de regras ou propósitos. Não definimos nada, mas procuramos escutar o outro. Se o outro quiser falar. E como do fim do jogo não sabemos (quando vem a morte? Não está escrito em canto algum ainda), podemos sim parar de jogar o jogo errado. Orgulho, remorso, rancor, todos peças do “Jogo do Eu”. E nesse jogo não há futuro.
    Mais vale jogar o “Jogo de Você”, que no fim das contas acaba igual ao outro, mas neste ao menos podemos compreender de verdade o que é cativar alguém.

    ResponderExcluir
  4. Seg de volta ? , to seguindo adoreiiii o Blog



    B.M.E.M

    ResponderExcluir
  5. Feliz 2013 tudo de bom um blog de sucesso, paz amor alegria...
    Passando para falar que estou cancelando todos afiliados ok.
    Me desculpe, mas mesmo assim não deixe de visitar o Things Of Teenager ta bom.
    Beijos

    thingsofteenagerblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Concordo, quando você encontra alguém que goste faz-se o que estiver ao alcance até que o mesmo perceba o quanto isso faz bem a ele e a você. Seu blog é um encanto.
    srtaveneno.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar, seu LEEEMDO(A)!
Você me deixou FELIZOOOOOOOOOOONA! *-----*
Volte sempre, e sempre, e sempre, e sempre... e sempre³!
Cheirinhos da tia, Lola ;**

Tamanho original
Volte Sempre!